Candidatos a presidência do Brasil lamentam incidente com Jair Bolsonaro
Ciro Gomes, Marina Silva, Geraldo Alckmin e demais candidatos ao pleito presidencial brasileiro cancelam suas agendas em solidariedade ao candidato Jair Bolsonaro, que foi esfaqueado durante acto de campanha
Ciro Gomes, Marina Silva, Geraldo Alckmin e demais candidatos ao pleito presidencial brasileiro cancelam suas agendas em solidariedade ao candidato Jair Bolsonaro, que foi esfaqueado durante acto de campanha
Hebert Neri Por Hebert Neri 09/09/2018
    Compartilhe:

Os candidatos a presidência do Brasil demonstraram sua solidariedade após o atentado a faca sofrido pelo presidenciável Jair Bolsonaro (PSL). Durante horário eleitoral concedido aos partidos políticos na televisão brasileira, três propagandas citaram o incidente ocorrido na tarde da última quinta-feira, 6, durante acto de campanha na cidade Juiz de Fora, região sudeste do Brasil.

Além da propaganda do PSL, Geraldo Alckmin (PSDB) e Álvaro Dias (Podemos) também utilizaram o momento para lamentar o ataque.

Com duração de seis segundos, a propaganda de Bolsonaro teve como centro o apoio à recuperação do presidenciável. "O povo brasileiro caminha unido em oração pela vida do nosso Jair Messias Bolsonaro", afirma. Também são utilizadas imagens do candidato. "Deus acima de todos. Muito obrigado!", ressaltou em discurso.

O senador Magno Malta (PR) afirmou que a grande exposição que Bolsonaro passou a ter na imprensa depois do atentado serve para compensar o pouco tempo do candidato no horário eleitoral da TV. "Vocês (imprensa) estão fazendo a campanha dele. Não eram seis segundos? Agora são 24 horas", disse Malta.

Álvaro Dias usou todo o tempo de propaganda para repudiar o episódio. Além de desejar uma recuperação rápida para Bolsonaro, o presidenciável reforçou que raiva e indignação são coisas bem diferentes, pois apenas a segunda contribui para uma melhoria no País. "Com ódio ninguém constrói nada. Somente com a indignação, mas com respeito por quem pensa diferente, podemos mudar o Brasil para melhor", concluiu.

Geraldo Alckmin também apontou o debate de ideias como essencial para a democracia. "Para resolver diferenças partidárias, existe a política. A política é a única arma aceitável em uma disputa eleitoral. Nada justifica a violência", salientou. O presidenciável também desejou o restabelecimento de Bolsonaro. "Eu e minha família estamos juntos nas orações pela plena recuperação do candidato Jair Bolsonaro".

Bolsonaro recupera-se de uma complicada cirurgia, e está acompanhado pela equipe médica do hospital Albert Einstein, referência em medicina na América Latina.

 

Comente com o facebook

Publicidade